Negócio 19.12.2023

BP Bunge comenta perspectivas de mercado para a safra 2024/25 na região Centro-Suk

Companhia estima avanço de 2,4% na produção de açúcar e desaceleração de 8,9% na produção de etanol de cana

por BP Bunge

Com a proximidade do encerramento da moagem da safra 2023/24, a indústria sucroenergética começa a fazer as primeiras previsões de mercado para a safra 2024/25, na região Centro-Sul do Brasil. A BP Bunge Bioenergia — uma das líderes brasileiras nos mercados de etanol, açúcar e bioeletricidade — está otimista com as projeções do setor para a próxima safra, que promete ser marcada por números expressivos e desempenho robusto nos segmentos de açúcar e etanol.

De acordo com Luciana Torrezan, gerente de Inteligência de Mercado da companhia, a safra atual foi marcada por questões climáticas importantes, que afetaram grandes produtores globais de cana-de-açúcar, como Índia e Tailândia, fazendo com que o Brasil assumisse o protagonismo do setor — principalmente na exportação de açúcar —, com produtividade recorde nos canaviais, tendo cerca de 680 milhões de toneladas de cana disponíveis para moagem.

“Após um ciclo marcado por condições climáticas excepcionais e uma produtividade agrícola recorde, esperamos uma diminuição de cerca de 3,6% na moagem para a safra 24/25, levando em conta a volta às condições climáticas próximas à normalidade”, analisa Luciana.

Segundo análise da executiva, com um cenário construtivo para o açúcar e capacidade adicional de cristalização, as usinas deverão maximizar a produção do adoçante. “A previsão para a produção de açúcar é de 43,7 milhões de toneladas, o que representa um avanço de 2,4% em relação à safra 23/24, consolidando o Brasil como um dos principais produtores mundiais dessa commodity”, comenta.

Já a produção de etanol de cana deve sofrer uma desaceleração na safra 24/25, com um total de 25,3 bilhões de litros versus 27,8 bilhões de litros da safra atual — o que significa uma redução de 8,9% na produção. “O cenário também mostra que o etanol de milho deverá seguir em expansão, compensando parcialmente a redução do etanol de cana”, finaliza.

Confira abaixo as previsões do centro-sul para a safra 2024/25:

Categorias

  • Negócio
  • Slider de Destaques